Quando se fala em ausência de um ou mais dentes, a autoestima do paciente vem à tona. Contudo, o implante dentário tem utilidade muito além da parte estética. O procedimento tem como objetivo solucionar complicações relacionadas à dificuldade na mastigação, complicações em âmbito fonoaudiológico e desalinhamento dos dentes remanescentes na arcada dentária.

O que são implantes dentários?

Trata-se de pinos de titânio cuja função básica é substituir dentes perdidos que devem ser inseridos na gengiva por meio de procedimento cirúrgico. Um dos aspectos mais importantes para o êxito do implante diz respeito à osseointegração, processo no qual o osso do paciente se regenera paulatinamente para dentro da superfície porosa do pino de titânio. O objetivo é a fixação plena do dente na gengiva.

Etapas do implante dentário

O processo para inclusão de implantes dentários, desde a análise à cirurgia, passa por um completo planejamento e acontece no consultório odontológico.

Pode-se identificar a necessidade de se fazer o procedimento após a realização de radiografias e de tomografia, nas quais é possível analisar com precisão em quais partes estão localizados nervos, quais são a densidade, profundidade e espessura ósseas. Esse método permite ao  implantodontista identificar qual é a melhor região para o encaixe do pino.

É importante ressaltar que o implante dentário é parafusado em peça de titânio que servirá como base para a prótese, havendo ou não enxerto ósseo. Além disso, o paciente deverá retornar para consulta entre 30 e 120 dias após a realização da cirurgia para haver continuidade no tratamento. Esse intervalo é necessário para a gengiva e a osseointegração terem acontecido de modo pleno.

O percentual de êxito é de 98% para cada procedimento, pois o titânio é um metal biocompatível – logo, não é rejeitado pelo organismo.
Contudo, os 2% de insucesso são facilmente reversíveis: o implante pode ser retirado e substituído por outro.

 Quais são os tipos de implantes?

Implante com carga imediata

O implante dentário com carga imediata é o método mais recomendável sempre quando houver possibilidade de realização. Consiste em extração, fixação do implante e inserção de dente provisório na região. Essa modalidade é indicada para preservar a estrutura da arcada e o contorno da gengiva. Com esta solução, o paciente pode sair do consultório com seu sorriso completo desde o início do tratamento. Todavia, essa não é uma opção para todos os casos.

Mini-implante dentário

O mini-implante dentário consiste em pequeno implante para auxiliar na movimentação ortodôntica e pode ser também aplicado para ancorar o aparelho ortodôntico em casos específicos. O pino é removido após haver a movimentação desejada do(s) dente(s) afetado(s) positivamente pelo instrumento.

Enxerto ósseo

O método é usado quando há perda óssea que inviabiliza a inserção dos implantes dentários e acontece em casos extremamente pontuais. A eficácia está condicionada à região na qual o enxerto será feito – os ossos da mandíbula e da maxila são diferentes, podendo ser mais ou menos porosos e densos.

Você precisa de um implante dentário?

A única forma de saber se um implante dentário é a melhor solução no seu caso é por meio de uma consulta com um especialista. Agende uma avaliação na Premium Implantes e Ortodontia e tire todas as suas dúvidas com nossa equipe de dentistas.

Agende sua Consulta