Um dos pontos fundamentais para se ter um sorriso bonito diz respeito aos cuidados com a gengiva, que é o tecido responsável pelo revestimento do osso alveolar, o qual sustenta os dentes. No entanto, a região corre risco de ser fragilizada por fatores como estresse, baixa imunidade, alterações hormonais, fumo e maus hábitos de higiene, que podem resultar na gengivite e em casos mais severos evoluindo para uma periodontite. E é neste ponto em que a periodontia entra.

O que é periodontia?

A periodontia é o ramo da odontologia responsável pelos cuidados com a gengiva e dos tecidos de sustentação e proteção dos dentes e, como consequência, pela análise de sinais que podem indicar o surgimento da gengivite, como edema (inchaço), sangramentos, vermelhidão e dores. A gengivite é nociva a ponto de desencadear a passagem de bactérias para a corrente sanguínea, que podem causar infecções crônicas e até mesmo a endocardite bacteriana caso se alojem no coração.

Por que a periodontia é importante?

A importância ficou ainda mais evidente após explicações sobre quais podem ser as consequências da gengivite – sem contar que 75% das pessoas com idade acima dos 25 anos estão sujeitas a tê-la. Ainda assim, esse ramo da odontologia é fundamental no que diz respeito aos cuidados preventivos, prevenção e tratamento de problemas detectados na gengiva.

Outras complicações relacionadas à má higienização abrangem o acúmulo de placa bacteriana, resultando no tártaro, o qual forma linha visível entre os dentes e a gengiva quando está acumulado. O não tratamento da região culmina na periodontite e, com isso, os problemas podem variar desde a halitose e evoluir até a perda dos dentes. Vale ressaltar que essa doença pode ser assintomática – ou seja, sem sinais evidentes -, tornando-se perceptível quando as complicações estiverem em estágio severo.

Periodontia

Mais curiosidades sobre a gengivite

  • Há quem imagine que se deva parar de usar o fio dental quando há sangramentos na gengiva. No entanto, recomenda-se a continuidade do uso caso o mesmo esteja sendo feito corretamente, pois sangramentos são sinais de presença de bactérias. Sendo assim, o uso correto do fio dental é importante para manter a área higienizada;
  • A prevenção de doenças na gengiva é feita por meio de higienização na área, que abrange a remoção da placa bacteriana, cálculo ou tártaro. Esse procedimento pode ser feito em casa, por meio de escovação dos dentes e uso de fio dental, e complementado com limpezas periódicas feitas pelo dentista;
  • Como problemas periodontais estão diretamente relacionadas ao fluxo de bactérias na gengiva e na corrente sanguínea, pode-se dizer que há relação com demais doenças, como problemas respiratórios e osteoporose. Além disso, pessoas com doenças periodontais correm risco dobrado de ter doenças cardíacas.

Quais são os tratamentos periodontais?

Os tratamentos periodontais podem variar de acordo com a complexidade e a gravidade de cada caso. Confira a seguir quais são:

  1. Remoção de placa, limpeza ou profilaxia: essa modalidade é uma das mais simples, na qual o cirurgião dentista usa jato de bicarbonato, aparelho de vibração ultrassônica e escova instrumental rotatória para higienizar a região e realizar a profilaxia – remoção da placa bacteriana;
  2. Raspagem e alisamento radicular: neste procedimento, o periodontista remove o tártaro ou o cálculo abaixo da gengiva, além de limpar e aplainar a superfície das raízes dos dentes. Nesse caso, a finalidade é prevenir o surgimento de inflamações e de infecções no local, assim como garantir a integridade da estrutura óssea de sustentação dos dentes;
  3. Cirurgia para redução de bolsas periodontais: neste caso, o objetivo é realizar a limpeza da região afetada e reduzir as bolsas periodontais, sendo possível apenas por meio de procedimento cirúrgico;
  4. Regeneração periodontal ou enxerto gengival: em casos mais graves, o tecido vermelho vivo da boca pode ser destruído e, sendo assim, o processo cirúrgico abrange a inserção de enxerto de tecido vivo do próprio paciente para regenerar a região;
  5. Reconstrução tecidual estética: esse procedimento é multifatorial, ou seja, está diretamente ligado à colocação de implante dentário. Logo, deve-se realizar cirurgias para restauração da gengiva e prepará-la para a instalação dos implantes dentários;
  6. Cirurgia plástica: indicada para casos extremos, tem como objetivo melhorar características como formato, cor, textura e contorno da gengiva.

Cuidados posteriores

Recomenda-se a visita ao periodontista a cada três meses ou entre quatro e seis meses em casos mais severos, pois a manutenção garante a estabilidade dos resultados obtidos durante o tratamento.

Para saber se você deverá submeter-se a tratamentos periodontais – e a qual procedimento de acordo com o seu caso -, agende uma avaliação na Premium Implantes e Ortodontia e tire todas as suas dúvidas com nossa equipe de dentistas.

Agende sua Consulta